quarta-feira, 25 de março de 2009

Aos Vencedores...As Batatas...


Tivemos um Oscar um pouco diferente neste ano de 2009. Com o filme Slumdog Milionaire levando oito categorias ficou provado que Bollywood e o cinema indiano são uma realidade. O filme, na verdade, não apresenta nada de inovador. Pelo contrário, tirando a ausência de um elenco estelar e um gordo orçamento, o filme se deixa cair facilmente em clichês, tornando-se um melodrama com um bom roteiro adaptado e uma direção muito sólida. Vale a pena destacar também a bela fotografia do filme.
Benjamin Button, já discutido em outro tópico, salva-se por recursos técnicos e uma boa história. Dica: assistam "Forest Gump" e comparem, vale a pena.
Quanto a "O Leitor", mais uma vez a academia coloca um filme que fala sobre o holocausto em sua lista. A história é razoável e os diálogos são bem articulados. Kate Winslet leva o oscar de melhor atriz por uma exibição em que passa boa parte do filme nua, coloco isto como uma observação, não como crítica. Uma observação curiosa de fato."
No novo filme de Gus Van Sant, "Milk", temos algo um pouco diferente de seus antigos trabalhos: "Elefante" e "Paranoid Park", um filme um pouco menos autoral, mas mesmo assim é possível identificar alguma de suas principais características: uma primorosa montagem e excelente trabalho de personagens. Uma história real, personagens reais. Parabéns para Sean Penn, ainda prefiro Mickey Rourke ("O Lutador", Darren Aronofsky)
E por último, e na minha opinião, o melhor de todos: "Frost/Nixon", fala sobre a entrevista cedida por Richard Nixon à David Frost, onde falam sobre o caso Watergate, logo após a renúncia do presidente americano. Uma lição de Jornalismo e Televisão dentro de uma obra cinematográfica, atuações surpreendentes e enquadramentos ousados. Um filme frio, até mesmo nas cores, que nos deixam completamente compenetrados, uma aula de história, uma obra de arte.
Uma última observação, todos os filmes são contados em formato de FlashBack, uma tendência que vêm se comprovando na cinematografia atual, até mesma na brasileira ("Tropa de Elite", "Meu nome não é Johnny, entre outros)

Um beijo á todos,

até a próxima...

*Renan Lima é editor do Audiovisueiros

2 comentários:

Gui Ferrari disse...

linda postagem. ótimo texto. você melhorou muito!

parabéns!!

Nat Vestri disse...

Muito boa mesmo, Rê!
Tá linda e gostosa de ler!
Vale observar que Gus Van Sant é famoso por seu cinema autoral (quase experimental), mas também dirigiu filmes como "Gênio Indomável", que segue os moldes clássicos do cinema hollywoodiano.