quarta-feira, 24 de novembro de 2010

A internet como ferramenta de publicação e divulgação I

A famosa afirmação de McLuhan, “o meio é a mensagem” , pretendia fazer um contraponto para a leitura tradicional dos meios como simples canais de passagem ou suporte aos conteúdos. A tese de McLuhan é a de que, longe de ser “transparente” ou inerte, o meio influencia a interpretação da mensagem e é determinante para a geração do conteúdo . Lamentavelmente, ele faleceu exatamente no momento do surgimento da Internet, um projeto ambicioso iniciado nos anos 60 e consolidado no início da década de 80 com a adoção do protocolo universal de comunicação entre computadores (TCP/IP).
Talvez a internet não seja a principal criação do momento em que vivemos, mas sem dúvidas representa uma mudança na forma pela qual nos comunicamos e é a demonstração cabal da tese de McLuhan.
Entre palavras como convergência, web, rede de computadores, e-commerce, busca de informação e redes sociais, o que é a internet?
Uma plataforma de entretenimento; uma ferramenta de trabalho; um meio de comunicação? Ela pode ser um pouco de tudo.
O nome completo da internet é public worldwide computer network system , ou seja, é um espaço público que conecta o mundo todo através de uma rede de computadores. Quando esse conceito foi concebido ainda não existiam os dispositivos móveis de acesso. Hoje é possível conectar-se com praticamente qualquer aparelho através de seu protocolo, da geladeira ao televisor, passando por qualquer equipamento capaz de comunicar-se direta ou indiretamente com a rede.
A Internet já faz parte de todas as “indústrias”, não só a da comunicação. Ela participa de nossa vida social, sem dúvidas, mas também esta mudando nossos hábitos de consumo e a forma de se fazer negócio. Sistemas de e-mail, o Google, a Wikipédia, o Msn, as lojas virtuais, os sites de conteúdo e os torrents são só alguns exemplos de como a internet impacta nosso cotidiano pessoal e profissional.
Para a indústria midiática a internet é um importante acontecimento, por ser o centro da convergência das mídias e um espaço onde podemos buscar o feedback dos nossos consumidores e o perfil dos mesmos, além de estabelecer um diálogo de forma nunca antes possível.
Tanto a convergência como o diálogo geram um engajamento do consumidor único, proveniente da liberdade e da comunicação.

*Guilherme Ferrari é colaborador do Audiovisueiros

3 comentários:

Flavio Ferrari disse...

Esse é meu filho !

Gui Ferrari disse...

eta coruja!
hahaha

Renan Lima disse...

Realmente, o impacto da internet é muito visível, a se lembrar ainda dos vídeos marcantes e dos acontecimentos históricos guardados na memória de nosso querido youtube. Para o bem ou para o mal, ela está ai...

Usamo-a...