terça-feira, 27 de abril de 2010

How i met your mother (CBS, desde 2005)

Antes de mais nada, aqui vai um SPOILER, a série já está no meio da sua 5ª temporada e o protagonista ainda não conheceu a mãe de seus filhos.
Continuando... How i met Your mother veio suprir a (minha) necessidade de séries água com açúcar como FRIENDS . Ela conta a historia de TED, ou melhor, TED conta para seus filhos a história de como conheceu a mãe deles, mas esse é apenas um pano de fundo para descobrirmos as partes mais interessantes da vida de TED.
A série não tem nada de inovador, mas tudo que ela tem de clichê, ela faz melhor. Sua montagem é evidente e descontraída e seus personagens são muito bem construídos. O protagonista consegue não ser nem o malandro conquistador e nem o bonzinho, ele é um equilíbrio perfeito, um homem comum que ainda assim consegue ser carismático. Diferente do que acontece na maioria das comédias românticas, em que o protagonista tenta alterar características de sua personalidade para conseguir o que quer, TED demonstra uma personalidade e continua com ela até o fim, é consistente e plausível.
Por ele estar contando suas memórias, a narração é recheada de flashbacks dentro de um grande flashback, em que vivemos o processo de relembrar o que aconteceu com o próprio personagem, isso implica, às vezes, ele se corrigir no meio de uma história, voltar atrás e contar uma nova versão ou até mesmo parar no meio de uma cena importante para dar uma explicação qualquer.
O fato da história estar sendo contada aos filhos é um ponto a mais, pois ele modifica elementos de sua juventude para não servir de mau exemplo, como ao invés de falar “maconha” ele fala “sanduiche”, então em muitas cenas vemos ele fumando sanduiches.
Com diálogos muito bem construídos, How I Met Your Mother explica o óbvio sobre uma nova perspectiva.
Apesar da curiosidade de saber como ele de fato conhece a mãe, não tenho pressa, pois sei que quando isso acontecer, o seriado acaba.
Então é isso... fica a dica!
HAVE YOU MET TED?


*Babi Fernandes é colaboradora do Audiovisueiros

4 comentários:

Renan Lima disse...

Babi, amei o texto, mt bom mesmo, e fiquei com muita vontade de ver a série...

Legal pra caramba aquela coisa do flashback que começa a ser contado diferente, ou que inverte coisas, me lembrou muito o curta "Sanduíche", do saudoso Furtado,

que bacana B, espero que continue bom, e pretendo ver logo -,

bjs...

Natália disse...

Saiba que a Nat está muito muito muito orgulhosa de você!

E ela te ama também. Mas isso você já sabe.

Parabéns pelo texto, Baby. Muito bom!
Também fiquei com vontade de ver a série!

sulamassi disse...

comecei a assistir hoje, e depois de 2 episodios vim ver se ja conhecia a mae e vi que mesmo na quinta temporada ainda nao temos sequer pista dela hahhaha

Ana Rafaela disse...

o texto está mesmo bom!
eu conheço a serie mas quando li que a meio da 5ª temporada ele não tinha conhecido a mãe dos seus filhos fiquei de boca aberta;
bom mas, a sério, está mesmo bem feito só ver a rimeira imagem fez-me lembrar os episodio que conheço da serie