domingo, 20 de abril de 2008

Reality Show

Quantos reality shows vocês acham que existem no mundo? Começemos pelo google. quando “googlei” a palavra reality show tive a seguinte resposta: “Resultados 1 - 10 de cerca de 22.900.000 para reality show. (0,18 segundos)”. Vocês sabem quão absurdo é isso? Procurando a bíblia você tem 25.900.000!!! a diferença é que a bíblia tem uns 2000 anos a mais de idade!
Mas não tem só isso de interessante sobre os reality shows. Fiz uma pequena pesquisa sobre os reality shows e vi que realmente, nos dias de hoje, esse formato de programa conquista uma legião imensa de fãns.
Se tentarmos, podemos observar cinco grandes categorias de reality shows: os reality shows semelhantes ao “Survivor”, que um grupo de pessoas é submetido a falta de produtos básicos para a sobrevivência e têm que buscar como se sustentar dentro de um ambiente hostil e competitivo; os reality shows do tipo “Big brother” que submete um grupo de pessoas a viver dentro de uma casa sem contato com o resto do mundo e acabam se envolvendo em diversas intrigas; tipo academia artística, que um grupo de espirantes a artístas profissionais tentam ganhar o crédito de um grupo de especialistas no assunto e o público; tipo casal, que uma pessoa solteira é disputada por um grupo de interessados/as; e tipo busca de emprego, que um empresário submete um grupo de candidatos tenta conquistar os valores de um bom funcinário em suas concepções e no final fica com um para a sua empresa.
Mas o que tem de tão especial esses programas que de alguma forma mostram apenas a vida real? Acredito que essa resposta começe dizendo que a pergunta não está correta. Os reality shows não mostram a realidade como ela é, primeiro porque teoricamente não podemos mostrar na teve a imagem de ninguém sem a prévia autorização. Isso significa que as pessoas que estão sendo filmadas sabem que estão ou estarão na teve. Outra coisa é que todos esses programas são manipulados por roteiros previamente pensados para que deêm audiência, e então, dinheiro. É claro que isso é uma nescessidade mas eles deixam de ser o que teoricamente faz as pessoas assistirem. Mas tem coisas que chamam ainda mais a atenção, que é o desejo que está em todo ser humano de espiar, e se o cara não se interessa nada por esse estilo de programa deve ser porque essa pessoa já tem em algum lugar na sua vida esse desejo de espiar os outros suprido.
Para não deixar esse artigo tão longo eu paro a discução por aqui e dou a palavra a vocês, mas antes eu já recomendo o que me trouxe a inspiração para esse post, que foi o filme “EDTV” do diretor Ron Howard. Também postado no tópico Gui Ferrari está a minha crítica do filme.

Por enquanto é só!

*Guilherme Ferrari é colaborador do Audiovisueiros

Nenhum comentário: